Clicky

O espaço enredando funcionará como um boletim e agenda dinâmicos. Aqui os parceiros possam divulgar e receber informações de interesse, como notícias, eventos, campanhas, manifestações, divulgação de possibilidades para colaboração, projetos e oportunidades de financiamento.

    LIVE – Protagonismo das Mulheres Quilombolas

    Live 27/7 – 18h

    Divulgue, participe!
    Link de acesso para a roda de conversa:
    https://bit.ly/apaer-quilombolas

    Em comemoração ao Dia da Mulher Afro-latino-americana e Caribenha e ao Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra, a Associação Paulista de Extensão Rural – APAER realizará uma Live com mulheres quilombolas. Elas debaterão sobre a participação e o protagonismo das mulheres quilombolas nas políticas públicas de desenvolvimento rural das quais as comunidades quilombolas do Vale do Ribeira/SP são beneficiárias. Quais são suas percepções sobre essas políticas e o papel da mulher? O que poderia mudar no modo como essas políticas são realizadas? Quais outros desafios enfrentam as mulheres agricultoras quilombolas?
    Conhecer essas percepções e desafios é o objetivo da

    Live da Apaer no dia 27 de julho próximo, que tem o apoio do Fórum de Economia Solidária da Baixada Santista – FESBS, da Sempreviva Organização Feminista – SOF e do coletivo Sementeia.


    Abertas inscrições Curso “Meio Ambiente, Questão Agrária e Multimeios” – edição 2020


    Abertas as inscrições para Disciplina
    (AP-545) e Curso de Extensão “Meio Ambiente, Questão Agrária e Multimeios” – edição 2020 Abertas as inscrições para Disciplina e Curso de Extensão “Questões Agrárias, Ambiente e Multimeios” – edição 2020

    1o Semestre / 2020

    Professor Responsável: Profa. Dra. Vanilde Ferreira de Souza Esquerdo

    Professores Convidados: Profa. Dra. Aline Vieira de Carvalho, prof. Dr. Roberto Donato, prof. Dra. Mariana Duccini Junqueira da Silva.

    Colaboradores/Pesquisadores: Dr. Diego Riquelme,  Dra. Kellen Junqueira, Dr. Marcelo Pupo, Doutoranda. Janaína Welle, Dra. Márcia Maria Tait, Dra.Teresa Noll Trindade, Alessandro Poeta e Dra. Luciana Henrique da Silva

    Dia/Horário: quinta-feira 9h – 12h

    Local: Nepam/Unicamp

    Resumo/Objetivos: Proporcionar métodos e recursos técnicos e teóricos para a análise crítica da linguagem audiovisual e para a construção de narrativas audiovisuais. O programa privilegia questões relativas às narrativas e linguagem cinematográfica sobre o filme documentário, por meio da abordagem de conteúdos, realização de análises fílmicas e de exercícios práticos. As análises fílmicas e discussões realizadas durante o curso/disciplina serão baseadas em estratégias voltadas à produção coletiva sobre temas como movimentos sociais, cultura e política, meio ambiente e questões agrárias, promovendo também uma reflexão mais abrangente em torno de identidades coletivas populares e práticas audiovisuais engajadas.

    A abordagem adotada parte de uma concepção da práxis como fundamento para os processos pedagógicos, o que implica na incorporação das expectativas e trajetórias pessoais dos participantes. Por isto, propõem-se momentos de reflexão-ação durante todo curso/disciplina e a divisão em grupos para definição e o desenvolvimento de projetos de realização audiovisual. Os projetos deverão estar alinhados com o formato e temas abordados durante o período e as condições objetivas de tempo-realização, ou seja, serão esperadas propostas de projeto de documentário em curta-metragem, com foco nas relações entre meio ambiente e sociedade, questões agrárias, movimentos sociais do campo e da cidade e outras temáticas levantadas durante o curso/disciplina.

    Vagas: 20

    Inscrições: DAC ou Extecamp – Os interessados caso sejam estudantes de pós regulares da Unicamp deverão se inscrever pela DAC curso sigla AP545, os que tem graduação podem se inscrever como especiais. O curso é aberto a qualquer cidadão.

    Os que se inscreverão pelo curso de extensão deverão aguardar a entrada do curso no site da Extecamp – http://www.extecamp.unicamp.br/ – Procurando pelo curso FEG-0770.

    Solicitamos um curriculum resumido e uma manifestação de interesse para os e-mails: kellen.junqueira@gmail.com / caroca@unicamp.br. Nosso objetivo principal com esta solicitação é ter um perfil da turma, esperamos que o número de interessados esteja compatível com o nº de vagas. Para os que enviarem a mensagem podemos informar quando o curso estiver no site da Extecamp.

    Lançamento da Plataforma de Filmes Acervo Formiga e Web série

    Lançamento da Plataforma Pública de Filmes Acervo Formiga com a disponibilização da Web-Série: “Des(afetos).

    “Des(afetos) – A Composição das Emoções na Política Brasileira”
    Brasil (2019) – 47 min.

    Direção/Realização:  Coletivo de Mídia Livre Vai Jão e Kjetil Klette Boehler. Apoio: FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo)CIEC/IFCH/UNICAMP (Centro Interdisciplinar de Estudos sobre Cidades / Instituto de Filosofia e Ciências Humanas / Universidade de Campinas). Brasil e Noruega – (2019) – Duração: 47 min
    Sinopse: Uma cartografia íntima que busca apontar as relações entre emoção e política no interior das manifestações pela disputa eleitoral no Brasil de 2018. O resultado traz a tona o imaginário afetivo e simbólico dos grupos sociais na efervescência dos últimos dias antes da decisão do novo Presidente da República. As polarizações de classe, raça, etnia, gênero e religiosidade captadas nas intensidades do momento propiciam uma leitura histórica de conflitos e contradições de uma tradição colonial ainda vigente no Brasil. Nesse cenário a disputa pela hegemonia de valores deflagram muito mais do que uma ética ou uma moral, mas sim, suas acomodações e interesses mais profundos.


    acervoformiga.png

    Lançamento da Plataforma Pública de Filmes Acervo Formiga com a disponibilização da Web-Série: “Des(afetos) – A Composição das Emoções na Política Brasileira” Brasil (2019) – 47 min.

    Aula Aberta em Agroecologia – Curso Meio Ambiente, Questão Agrária e Multimeios/2019

    Inscrições Abertas – Curso Meio Ambiente, Questão Agrária e Multimeios – 2019

    1º Semestre / 2019

    Professor Responsável: Profa. Dra.Sonia Bergamasco

    Professores Convidados: Profa.Dra. Aline Vieira de Carvalho e Prof. Dr. Gilberto Sobrinho

    Colaboradores/Pesquisadores: Dr. Diego Riquelme, Dra. Kellen Junqueira, Dr. Marcelo Pupo, Ms. Janaína Welle, Dra. Jennifer Jane Serra, Alessandro Poeta Soave, Dra. Luciana Henrique da Silva e Dra. Márcia Maria Tait

    Dia/Horário: quarta-feira 9h – 12h (início 27/2)

    Local: Nepam/Unicamp

    Vagas: 20

    Inscrições: DAC ou Extecamp – Os interessados caso sejam estudantes de pós regulares da Unicamp deverão se inscrever pela DAC, os que tem graduação podem se inscrever como especiais.

    Os que se inscreverão pelo curso de extensão deverão fazer sua matrícula de 10 a 17 de dezembro no site da Extecamp – http://www.extecamp.unicamp.br/ – Procurando pelo curso FEG-0770.

    Exibição das produções do curso Meio Ambiente, Questões Agrárias e Multimeios – 2018

    Este mês (24/05) teremos o momento de exibição das produções do curso de extensão e disciplina de pós-graduação “Meio Ambiente, Questões Agrárias e Multimeios”. Evento é aberto para todxs interessados e contará com participação das equipes produtoras dos documentários e convidados.

     

    Quando: Dia 24 de maio às 14h.

    Local: Anfiteatro do Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) da UNICAMP. 

    Do argumento à imagem-final

     

     

     

    Encontro – Redes Digitais e Culturas Ativistas

    2º Encontro RDCA – Redes Digitais e Culturas Ativistas
    Chamada de resumos no programa de Pós-graduação Limiar na PUC-Campinas. O prazo final é 14/05.

    CHAMADA DE RESUMOS

    O Programa de Pós-Gradução em Linguagens, Mídia e Arte, da Pontifícia Universidade Católica de Campinas, convida docentes e pesquisadores, em nível de graduação e pós-graduação, a apresentar trabalhos que relatem suas pesquisas e/ou experiências voltadas a causas ativistas e a forma como são articuladas a partir de sua relação com as mídias, as artes e as tecnologias.

    Sobre o evento

    Em tempos de crise da representação democrática, cabe à academia abrir espaços para pensar identidades políticas que, apesar das incertezas, riscos e inseguranças que permeiam a atual fase do capitalismo contemporâneo, florescem a partir de uma multiplicidade de questões socioculturais. Trata-se de novas atitudes que reconfiguram as mídias e os discursos predominantes, a tecnologia, os espaços públicos, a organização do trabalho, a representação de si e as linguagens poéticas.

    Nesta segunda edição do encontro Redes Digitais e Culturas Ativistas, promovido pelo Programa de Pós-Graduação em Linguagens, Mídia e Arte da PUC-Campinas, propomos, a partir de uma perspectiva interdisciplinar, o debate plural entre os participantes a fim de criar espaços de diálogo que aproximem diferentes campos do fazer político, cultural e midiático. Se a política em sua forma democrática se encontra permeada por tensões e incoerências, como pensar as micropolíticas em seu papel de reconfiguração do cenário atual? Teriam estas o papel de transformar a política de fora para dentro ou as reconfigurações de tais representações marginais/alternativas/minoritárias nos levariam a novas reflexões sobre a representação em si? Em um cenário permeado por maniqueísmos, a pluralidade de discursos seria um caminho rumo a uma alternativa para continuarmos a viver juntos?

    Neste ano, o evento está organizado em duas mesas de debate, exposição artística e apresentação de trabalhos. A fim de nortear os participantes, dividimos as temáticas em cinco eixos organizados em GTs (grupos de trabalho): artivismo; ativismo midiático; cidade e urbanismo; culturas ativistas e; identidade e minorias. Cada um desses grupos é organizado por professores do nosso programa a partir de suas linhas de interesse.

    Os trabalhos que forem aceitos e apresentados durante o evento serão publicados em um caderno de resumos.

    O evento acontecerá durante o dia todo no dia 06 de junho de 2018 no Centro de Linguagem e Comunicação, no campus I da Pontifícia Universidade Católica de Campinas.

     

    Processo de submissão

    Os resumos devem ser enviados para um dos cinco GTs descritos abaixo.

    GT1 – Artivismo

    O objetivo deste GT é propor diálogos entre arte e política em suas mais diversas abordagens e atravessamentos. Serão acolhidos trabalhos que discutam essa temática a partir de e sobre linguagens com reflexões teóricas ou práticas artísticas, nos tópicos:

    • Arte e Natureza
    • Arte e Sincretismo
    • Arte e Tecnologia
    • Coletivos na Arte
    • Políticas Públicas para a Arte

    Coordenadoras: Luisa Paraguai e Paula Almozara

    GT2 – Ativismo midiático

    Este GT acolhe trabalhos que estejam relacionados a práticas ativistas em sua relação com as mídias. Observa-se que a utilização dos meios de comunicação por parte dos ativistas tem criado campos de pressão sobre instituições do setor público e privado. Para além disso, os usos das mídias como forma de criação de novas narrativas e (re)apropriação de discursos são também de interesse. Elencamos abaixo os temas que podem nortear os participantes a submeter seus trabalhos para esse grupo de trabalho:

    • Ativismo e narrativas transmídia
    • Jornalismo independente
    • Marcas, fã-ativismo, culture jamming
    • Mídia e esfera pública
    • Mídia tática
    • Redes sociais, engajamento e mobilização
    • Tecnologia e cultura hacker

    Coordenadores: Carlos Alberto Zanotti, Rogério Bazi e Tarcisio Torres Silva

    GT3 – Cidade e Urbanismo

    Quando observamos o espaço urbano sendo produzido socialmente por forças contraditórias e desiguais, algumas características e debates parecem urgentes no fazer cotidiano, como a gestão partilhada de espaços públicos, os movimentos sociais e as ocupações diversas da cidade, sejam pela paisagem conflituosa gerada pelas tensões ou pelas inserções e processos criativos e coletivos. A relação das artes com os espaços da cidade também suscita múltiplos significados e inter-relações que resultam em propostas artísticas interativas e colaborativas. São projetos, lugares ou objetos que interagem com o urbano e tomam dimensões, muitas vezes, políticas a pensar sobre:

    • Arte Urbana
    • Derivas e nomadismos
    • Intervenções sobre a cidade (ecologia, arquitetura e mobilidade)
    • Museus e memória
    • Ocupações e territorialidades
    • Vigilância e contra-vigilância

    Coordenadores: César Antônio Pereira, Juan Manuel Adán Coello e Márcia Eliane Rosa

    GT4 – Culturas ativistas

    Falar sobre cultura implica diferença e pluralidade. Diferença que sempre adia a totalidade e que expõe relações de poder e forças de resistência. Dessa forma, entendemos que a diversidade cultural implica muito mais do que respeito, tolerância e convivência com o outro, mas, de fato, espaços que revelem outras formas de se dizer e se representar no mundo, sem as quais não haveria possibilidade de transformação. Assim, somos ciborgues nas complexas relações que estabelecemos com o outro: sujeito, animal, natureza, informação, tecnologia. Somos uma legião de montagens que constituem devires outros, marcados pelas linhas de fuga que trafegam nas bordas. Neste GT, estamos, portanto, interessados em discutir trabalhos que dialoguem com os seguintes temas:

    • Cinema independente e vídeo-ativismo
    • Estudos culturais (pós-colonialismo, diversidades culturais, diálogos do sul global, latinidades e africanidades).
    • Ecocrítica (ativismo ambiental, ativismo alimentar, direitos dos animais)
    • Literatura marginal/periférica
    • Manifestos, fanzines e panfletos
    • Moda e consumo sustentável

    Coordenadores: Eliane Righi de Andrade e Ricardo Gaiotto de Moraes

     GT5 – Identidades e minorias

    Com a intenção de debater e dar visibilidade às diversas políticas de identidade que se fortalecem no mundo contemporâneo, este grupo de trabalho acolhe propostas que reflitam sobre ações relacionada às temáticas que surgem a partir de discussões sobre (in)visibilidade e (in)dizibilidade, empoderamento e reconhecimento social de grupos:

    • Afrodescendentes
    • Feministas
    • Imigrantes
    • Indígenas
    • LGBTQ
    • Pessoas com deficiência
    • Religiosos

    Coordenadoras: Maria de Fátima Silva Amarante e Eliane Fernandes Azzari

     

    Formato dos resumos

    Os resumos devem conter título em negrito; o nome do(s) autor(es), assim como sua formação principal e filiação; tamanho entre 300 e 500 palavras, fonte Times New Roman 12, justificado, parágrafo simples; apresentar de três a cinco palavras-chave; e ser encaminhado até o dia 14/05 para o GT de interesse por meio da plataforma EasyChair no link https://easychair.org/conferences/?conf=rdca2018.

    Para mais informações, acesse o site www.culturasativistas.wordpress.com

     

     

    Comissão organizadora

    Debate: A defesa da Educação Pública e a construção da Sociedade Democrática

     

    Originalmente publicado na página do Comitê em Defesa da Educação Pública do Rio Grande do Sul, dia 27 setembro 2017.

    Lançamento do vídeo Cooperacra-Cooperativa da Agricultura Familiar e Agroecológica

     

    Convidamos a tod@s para a sessão de exibição do vídeo-documentário “CooperacraCooperativa da Agricultura Familiar e Agroecológica

    Arte cartaz: Vitor Gonçalves da Silva

     

    lançamento será dia 05/10 às 16h na Casa do Lago/Unicamp.

    Contaremos com a presença dos agricultores-diretores do vídeo e a equipe responsável pela oficina para uma conversa

    sobre a produção e sobre a formação em comunicação, em agroecologia e em produção audiovisual que realizamos todos juntos neste processo.

    Democratização comunicação e mídia livre – Diálogo entre coletivos

    Democratização comunicação e mídia livre – Diálogo entre coletivos

     

    Debatedores:

    Socializando Saberes/MIS – Sonia Fardin

    Maria Lab/Vedetas – Daniela Araujo

    Jornalistas Livres – Fabiana Ribeiro

    Vai Jão – Anderson Rodrigo dos Santos

    Coordenação: Márcia Tait

    Dia 12/9 (terça-feira) 9hs no Auditório do Nepam/Unicamp